7 dicas para escolher um contador para o Imposto de Renda 2 anos ago

Declarar o Imposto de Renda é uma das suas preocupações neste início de ano, certo?  Se você se encaixa em pelo menos um dos critérios de declaração, certamente que sim.

E para que a sua declaração de certo e você não ficar com pendências com a Receita Federal (que causam multas de grande valor) é recomendado que você procure um Contador para ajuda-lo com o Imposto de Renda.

Com a ajuda de um bom contador, a sua declaração de Imposto de Renda será de feita de foram correta, e as chances de ocorrerem erros diminuem drasticamente.

Sendo assim, a grande questão é como escolher um bom contador para a declaração do Imposto de Renda. Para ajudar você nessa escolha separamos uma lista.

7 dicas para escolher um contador para o Imposto de Renda

1. Escritório de Confiança

 Antes de escolher o contador, procure informações sobre o escritório de contabilidade em que ele trabalha. Veja se é um escritório confiável e que tenha bom nome em sua cidade.

2. Procure um especialista

Procure saber se o escritório e o contador são especialistas em declarações em Imposto de Renda e a quanto tempo o contador já faz declarações de Imposto de Renda.

3. O barato sai caro

Muitas vezes, o barato sai caro. Por isso, você deve saber que o escritório com mais infraestrutura e qualidade cobra um valor mais alto. Os melhores profissionais custam mais.

Desconfie dos escritórios que cobram valores muito baixos e faça a escolha baseada nas suas necessidades, sem que serviços importantes deixem de ser disponibilizadas à você.

Uma boa dica é observar a média de preços que os escritórios da sua região cobram, e cuidar com os que ficam muito abaixo disso.

4. Qualificação

Leve em consideração a qualificação do profissional e lembre-se que um bom contador garante a sua segurança e o auxilia na prevenção contra transtornos futuros e multas.

5. Comunicação

Veja se existe a possibilidade de entrar em contato com os profissionais do escritório por meios como Skype e telefone, que permitem a conversação de forma imediata e direta.

6. Esclarecimento de dúvidas

Contrate um contador que esclareça todas as suas dúvidas durante o processo. Lembre-se que você poderá ter dificuldades com termos técnicos e que uma informação errada poderá lhe trazer sérias consequências, pois essa declaração poderá cair em malha fina.

7. O que você vai precisar declarar

É preciso saber o que precisa declarar ou não. E nisso, o contador o ajudará com questões relativas a bens adquiridos, resgate de aplicações financeiras, pagamento de previdência privada e até a recebimento de herança.

 

Atenção!! É preciso ter muito cuidado diante de todos esses dados, pois um deslize pode fazê-lo cair na malha fina da Receita Federal. E por mais que você tenha boa fé, dependendo da informação equivocada a multa pode chegar a 125% do valor do imposto calculado no documento.

Além de tudo, o fato é que o contador é quem conhece bem o funcionamento do IR e pode guiar você por todas as etapas necessárias assertivamente, desde a junção da documentação necessária.

Agora que você já sabe como escolher um contador para a declaração do imposto de renda poderá encontrar o profissional certo para você.

 

BÔNUS:

Descubra se você precisa declarar Imposto de Renda em 2018. Esses são o critérios que definem que precisa e quem não precisa declarar o Imposto de Renda.

 

  1. Quem recebeu rendimentos tributáveis (salário, aposentadoria, pensões,aluguéis, rendimento autônomo, previdência privada, atividade rural, pensão alimentícia, etc..) cuja soma foi superior a R$ 28.559,70;
  2. Recebeu rendimento isentos, não tributados ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00
  3. Teve qualquer valor de Imposto de Renda Retido na Fonte em 2017. Se a soma dos Rendimentos Tributáveis não atingir o limite da obrigatoriedade (R$ 28.559,70), não precisa fazer o IRPF2018.
  4. Quem participou de quadro societário de empresa, inclusive inativa, e teve rendimentos superiores ao limite tributável (R$ 28.559,70) ou limite de rendimentos não tributáveis (R$ 40.000,00), como titular, sócio-
    cotista, ou responsável perante a Receita Federal de qualquer Associação (moradores, religiosa, outras.).
  5. Quem teve a posse ou propriedade de bens e direitos em 31/12/2017,de valor de aquisição total ou superior a R$300.000,00;
  6. Quem passou a condição de residente no Brasil. Verificar as instruções para pessoa-física não residente que ingressou no Brasil;
  7. Quem vendeu bens ou direitos em 2017 e que foi apurado ganho de capital, sujeito à incidência do imposto; ou
  8. Optou pela isenção do imposto de renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no Brasil, no prazo de 180 dias contado da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005.
  9. Quem fez operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhados;
  10. Quem obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50 referente atividade rural ou que deseja compensar prejuízos da atividade;

Agora que você já sabe como escolher o melhor profissional para declarar o seu Imposto de Renda e se precisa declarar ou não esse ano, entre em contato conosco. Nós te ajudamos a declarar seu Imposto de Renda para que não ocorram erros.

Deixe seu comentário

Comentários

No Replies on 7 dicas para escolher um contador para o Imposto de Renda

Commenting is Disabled on 7 dicas para escolher um contador para o Imposto de Renda